Conteúdos

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

OCUPAR A SEMENTE

Lisboa, desfile performativo pela Liberdade das Sementes
16 de outubro, Dia Mundial da Soberania Alimentar



Declaração sobre a Liberdade das Sementes
- Vandana Shiva

1. A semente é a fonte de vida, é a urgência da vida de dar expressão a si mesma, de renovar-se, de multiplicar-se, de desenvolver-se de forma perpétua em liberdade.

2. A semente é a materialização da diversidade biocultural. Representa milhões de anos de evolução biológica e milénios de evolução cultural e o potencial para milénios de evolução no futuro.

3. A Liberdade das Sementes é o direito que toda e qualquer forma adquire desde nascença e é a base da protecção da biodiversidade.

4. A Liberdade das Sementes é o direito que qualquer agricultor e produtor alimentar adquire desde nascença. O direito dos agricultores de guardar, trocar, desenvolver, cultivar, vender as sementes é o âmago da Liberdade das Sementes. Quando esta liberdade lhes é retirada os agricultores ficam encurralados pela dívida e em casos extremos suicidam-se.
5. A Liberdade das Sementes é a base da Liberdade Alimentar, uma vez que a semente é o primeiro elo na cadeia alimentar.

6. A Liberdade das Sementes é ameaçada pelas patentes sobre sementes, que criam um monopólio de sementes e tornam ilegais a conservação e troca de sementes pelos agricultores. As patentes sobre sementes não se justificam, nem em termos éticos nem em termos ecológicos, uma vez que as patentes são direitos exclusivos concedidos sobre uma invenção. As sementes não são uma invenção. A vida não é uma invenção.

7. A Liberdade das Sementes de diferentes culturas é ameaçada pela Biopirataria e pelas patentes no conhecimento e biodiversidade indígenas. A Biopirataria não é uma inovação – é um furto.

8. A Liberdade das Sementes é ameaçada por sementes geneticamente modificadas, que estão a contaminar as nossas quintas, eliminando assim a opção por alimentos não geneticamente modificados para todos. A Liberdade das Sementes dos agricultores é ameaçada quando, depois de contaminarem as nossas culturas, as multinacionais processam os agricultores por “roubar a sua propriedade”.

9. A Liberdade das Sementes é ameaçada pela transformação deliberada da semente de recurso renovável auto-gerado, em produto não renovável patenteado. Os casos mais extremos de sementes não renováveis são aquelas desenvolvidas através da “Tecnologia Exterminadora”, que foi desenvolvida com a finalidade de criar sementes estéreis.

10. Comprometemo-nos a defender a Liberdade das Sementes enquanto liberdade de evolução das diversas espécies; enquanto liberdade das comunidades humanas de reclamar as sementes de fonte livre como bens comuns.



As Sementes e as Mulheres

As mulheres são naturalmente as guardiãs das sementes, as germinadoras da vida. Num momento onde por todo o mundo surgem esterilizações de mulheres sem o conhecimento e autorização das mesmas é paralelo o abuso do corpo natural da Terra e suas sementes. É urgente que se unam Homens e Mulheres preservando a semente e fruto dos seus ventres e do ventre criativo da natureza, no potencial máximo da sua abundância e sustentabilidade: a semente.

Se a semente é património privado, a vida humana perde o que de mais precioso tem: alimentação, cultivo (capacidade de gerar o seu alimento com autonomia) e saúde.
A semente privatizada e manipulada é como a remoção não consentida do útero, ovários ou trompas: um crime, uma violação da integridade humana e planetária, um atentado à mais elementar liberdade de ser parte de um planeta que é de todos.
A obra de E. Delacroix, La Liberté guidant le peuple, relembra os princípios esquecidos e essenciais da liberdade, igualdade, irmandade.

As sementes relembram a urgência de reclamar a concretização destes princípios  e de todos assumirmos o papel da revolucionária Liberté, porque é nesta mesma liberdade que se baseia o direito de nutrição autónoma dos nossos filhos e a biodiversidade essencial à vida saudável do planeta Terra.

A Liberdade guia o povo, as corporações matam a liberdade e o povo ao privatizarem as sementes e impedirem que a agricultura se processe livremente.

Que todas as mulheres e homens possam unir-se de coração nu pela liberdade de todas as sementes, de toda a nutrição, de todos nós.

Iris Lican

Sem comentários:

Enviar um comentário